Como são as festas e comemorações de réveillon em outros países

Festa em Copacabana no Rio

TRADIÇÕES CURIOSAS DE ANO NOVO

A Cachaça da Happy Hour

No Brasil, tudo é meio megalomaníaco, como a espetacular queima de fogos de artíficio durante o réveillon, na superlotada praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Mas quase todos os países do mundo têm algo que os caracteriza na hora de celebrar a chegada do Ano Novo, mesmo que de forma mais modesta que as festas brasileiras.

Conheça algumas das tradições mais curiosas ao redor do planeta.

Na Espanha, a passagem de ano é conhecida como “Nochevieja”, ou seja, “noite velha”, e o costume é comer doze uvas ao acompanhar das doze badaladas. A origem desta tradição remonta a 1909, ano em que houve um grande excedente na produção de uvas. Contudo, segundo os especialistas na matéria, já no século XIX se encontram registros desta tradição na burguesia espanhola da época.

Nos EUA, a tradição de fim de ano é o conhecido “beijo da meia-noite”. Embora ninguém saiba ao certo de onde surgiu, este costume tem a sua origem ligada aos ritos romanos do festival de “Saturnalia”, que se comemorava numa época muito próxima à atual festa de fim de ano. Neste festival dedicado à divindade de Saturno, todos se beijavam na boca como forma de celebração.

Na Itália, os festejos estão ligados ao consumo de lentilhas, que não podem faltar de jeito nenhum na mesa de cada italiano. Trata-se de uma tradição que também remonta ao período romano e que recentemente começou a ser copiado na Espanha. Na antiga Roma, associava-se o prato transbordando de lentilhas a um prato cheio de moedas de ouro.

Na Dinamarca, não há celebração de ano novo que não inclua pratos a menos nas cozinhas deste povo do norte de Europa. A tradição é exatamente essa: quebrar muitos pratos de porcelana na entrada do novo ano como forma de atrair a boa sorte. No entanto, existem também outras tradições escandinavas, como saltar do alto de uma cadeira nas badaladas da meia-noite.

Nas Filipinas, a tradição de final de ano é usar uma roupa com estampas de bolinhas, devido à associação com a forma das moedas. Ainda mais importante: essa peça do vestuário deve ter um bolso, no qual se guardam algumas moedas como forma de atrair outras durante todo o ano. Também as ruas do país são enfeitadas com telas nessa mesma temática para atrair a boa sorte econômica.

Na Escócia, a cidade de Edimburgo tem uma tradição muito especial conhecida pelo nome ancestral de “Hogmanay”. Trata-se de um festival de rua animado por danças populares, música tradicional, fogos de artifício e teatro de rua. Ele ocorre, sobretudo, na principal rua da capital escocesa, a conhecida Royal Mile. Ali se desenrola um desfile, conhecido como “Torchlight Procession”.

Na Inglaterra, a tradição de viver a pontualidade britânica não falha. E isso verifica-se também na forma de festejar o ano novo com a chamada “First Footing”, que consiste em ser o primeiro a visitar a casa dos familiares depois da meia-noite. É importante fazer-se acompanhar de algum tipo de presente, seja ele dinheiro, pão ou carvão, como forma de assegurar que a sua família tenha fartura no ano que se inicia.

Na África do Sul, a tradição é muito similar ao Carnaval brasileiro. Chama-se “Tweede Nuwe-Jaar”, que significa “Segundo Ano Novo”. Numa festa bastante colorida, os participantes saem agrupados, tal e qual os participantes dos blocos carnavalescos no Brasil. O sentido da festa é exatamente o mesmo da brasileira: bebidas, fantasias, música, animação e muita dança.

No Japão, a passagem de ano coincide com uma tradição budista conhecida por “Joya No Kane”, na qual soam 108 badaladas de algum templo budista do país. É desta forma que os habitantes desejam o melhor para si e para os seus para o ano que se inicia, tentando desta maneira afugentar todos os 108 pecados portados pela alma humana durante o ano inteiro.

Para finalizar, existe uma tradição geral que pode ser considerada universal, que é o uso de uma peça de roupa íntima na cor vermelha. Não importa o seu formato, tamanho ou padrão. O importante mesmo é a cor aguerrida do vermelho, que, apesar de não ter uma origem histórica confirmada, está associada à paixão e ao amor. A pessoa que usar vermelho irá atrair a boa sorte no amor durante o ano inteiro.

Com JN.pt

Deixe um comentário interessante neste artigo: