Como fazer o currículo para vaga de emprego em empresa estrangeira

Como fazer currículo em inglês

CURRICULUM VITAE EM INGLÊS

A Cachaça da Happy Hour

A procura por um emprego é uma das situações mais temidas na vida — além de fazer um tratamento de canal. O que dizer então de fazer essa busca em outro idioma?

Com a chegada das empresas internacionais no Brasil, cresceu a demanda por conhecimentos de inglês para as entrevistas e a elaboração de currículos nesta língua.

Por isto, os brasileiros precisam se adaptar velozmente às diferenças culturais para melhorar suas chances no mercado de trabalho.

E uma das maiores exigências na atualidade, ninguém duvide, é aprender como fazer corretamente o Curriculum Vitae no idioma inglês.

Acontece que os currículos dos norte-americanos diferem muito dos brasileiros na forma como apresentam o histórico e as qualificações profissionais.

Geralmente, nativos candidatos a vagas em empresas americanas equivocadamente listam apenas suas atribuições nos empregos anteriores, sem detalhar realizações e habilidades.

Os americanos tendem a considerar a lista de funções insuficiente para informar o que o candidato realmente fazia e se era criativo para apresentar ideias e soluções.

Claro que tudo isso pode ser esclarecido num primeiro contato, mas ignorar esse detalhe até impede que o candidato tenha a oportunidade de pisar no departamento de RH para uma entrevista.

Para garantir um currículo interessante, é importante que os pontos fortes e conhecimentos para uma função específica sejam destacados — porém apresentados da forma mais concisa possível.

Outro aspecto cultural a ser considerado é que os ‘gringos’ não aceitam no currículo dados pessoais como idade, estado civil ou número de filhos.

Ao contrário da prática de firmas brasileiras, esses questionamentos são considerados ilegais, invasivos ou mesmo irrelevantes para companhias americanas e, por isso, precisam ser evitados.

– – –

Por Robert Young — consultor de idiomas em São Paulo, sócio da Ceola & Young Global Language Consultants e co-autor de “Fluent Business English”.

Deixe um comentário simpático neste artigo: