Como abelhas, drones vão semear árvores em áreas desmatadas

O ‘BOMBARDEIO’ DE UM BILHÃO DE SEMENTES

Drone no reflorestamento

Um dos maiores desafios do nosso tempo será frear o desmatamento e ainda recuperar as florestas que destruímos. Nesse esforço, teremos que contar até com a ajuda de “abelhas tecnológicas”.

Atenta ao problema, uma startup britânica decidiu apostar no alcance aéreo dos drones para plantar um bilhão de árvores por ano, uma solução à altura da devastação “industrial” das florestas.

Segundo a BioCarbon Engineering, o uso dos aparelhos seria mais eficiente e preciso que os métodos tradicionais adotados no mercado, como o plantio manual de árvores (lento e caro) e a distribuição de sementes secas por via aérea (com baixas taxas de fixação).

A nova solução equilibra esses dois métodos. Primeiro, por meio do plantio de sementes germinadas, utilizando técnicas de agricultura de precisão. E, além disso, por sua escala automatizada, a tecnologia reduz significativamente os custos com a mão-de-obra.

Quadricóptero semeador

MAPEAMENTO

Em um primeiro momento, com ajuda de um drone, a BioCarbon reunirá os dados detalhados do terreno, a fim de produzir mapas 3D de alta qualidade sobre as terras agrícolas, plantações e áreas a serem restauradas.

PLANTIO

Usando os dados de mapeamento, os drones realizam as atividades de plantio de precisão. A semeadura vem do alto, na forma de pequenas cápsulas que se rompem ao atingir o solo, liberando, assim, as sementes germinadas.

MONITORAMENTO

Outra importante parte do projeto é o monitoramento do plantio. Esta informação ajudará a fornecer avaliações da saúde do ecossistema ao longo do tempo.

FASE DO PROJETO

O protótipo para o projeto de reflorestamento em escala industrial já recebeu R$ 20 mil em fundos do Centro de Empreendedorismo Skoll e deverá entrar em pleno funcionamento até o final deste ano.

Informação obtida com o nosso amigo Roberto Simão.

Deixe um comentário simpático neste artigo: