Comer à noite engorda porque o ritmo do corpo fica mais lento

Atacando a geladeira à noite

FLAGRA: COM A MÃO NA MASSA

A Cachaça da Happy Hour

Aquilo que a intuição e os maxilares cansados já sabiam, e as roupas apertadas e a balança não escondiam — especialmente nessas épocas do ano de grande comilança –, mais uma vez é confirmado pela ciência: atacar a geladeira ou mandar brasa na comida à noite, quando o ritmo do corpo é mais lento, faz com que se engorde mais.

Para manter um peso corporal adequado, portanto, é preciso levar muito em conta os horários das refeições. Quem costuma ingerir mais alimentos no período noturno é mais propenso a ganhar peso, confirma uma pesquisa da Universidade de Northwestern, em Illinois, nos Estados Unidos.

Pessoas que consomem mais da metade das calorias diárias após o jantar, ou que trabalham em turnos noturnos, tendem a engordar mais, porque “se alimentam no horário no qual o ritmo natural do corpo pede para dormir”, explica o estudo, publicado na revista Obesity.

O trabalho teve como foco o ritmo circadiano, uma espécie de relógio biológico que aponta quando é hora de dormir, acordar e comer ao longo das 24 horas do dia e que tem um papel importante no estudo da obesidade.

SINCRONIA METABÓLICA

Para chegar à conclusão de que comer sem respeitar o ritmo circadiano metabólico facilita o surgimento da obesidade, os responsáveis da pesquisa estudaram durante seis semanas dois grupos de ratos, que seguiram uma dieta com alto conteúdo em gorduras: um durante as 12 horas do dia e o outro durante as 12 horas noturnas.

Após comparar o peso dos roedores antes e depois da experiência, e levando em conta que essas cobaias têm hábitos noturnos, a equipe observou que aquelas que se alimentavam de dia, o que equivale nos seres humanos a comer de noite, ganharam maior peso do que as outras.

Segundo os especialistas, a falta de sincronia com o ritmo circadiano induz os ratos a comer a mais e faz com que o gasto de energia seja menor, o que os faz engordar.

Diante do resultado dessa pesquisa, os autores opinam que “modificar os horários das refeições pode afetar enormemente o peso corporal, e isso pode ser o princípio do desenvolvimento de novas estratégias para combater a obesidade”.

Consumir a maior parte das calorias durante a noite e ter excesso de peso são coisas que frequentemente andam juntas, devido ao fato de que o metabolismo, ou seja, a velocidade do organismo para queimar calorias, é mais lento quando se está dormindo.

ATAQUES À GELADEIRA

Por essa razão, muito do que se ingere tarde da noite pode acabar sendo armazenado na forma de gordura no corpo. E o que é pior: uma vez que se começou a comer é mais difícil parar: os ataques à geladeira vespertinos e noturnos facilmente podem fornecer 500 calorias de uma só vez, sem que a pessoa se dê conta.

Ao permitir-se comer em excesso, a pessoa cria um círculo vicioso: não só ingere calorias além do necessário, como dilata o seu estômago pela maior quantidade de comida que comeu, fazendo com que precise de mais alimentos para preenchê-lo, o que por sua vez o induzirá a novos exageros.

Fonte

Deixe um comentário simpático neste artigo: