Coca-Cola para desentupir pias, rede de esgotos e… intestinos

Coca-Cola desentope intestinos

REMÉDIO PARA PRISÃO DE VENTRE

Do blog BananaPost

Se a Coca-Cola é reconhecidamente eficaz para desentupir pias e redes de esgoto sanitário, não teria o refrigerante a mesma capacidade para resolver as incômodas prisões de ventre?

Tem lógica. Afinal, no começo, a Coca-Cola não era vendida em farmácias, sabe-se lá pra quê? Depois é que virou uma bebida popular e, décadas mais tarde, retomou seu vínculo com a medicina.

Um estudo publicado recentemente mostrou como o refri vem sendo usado — e com sucesso! — para tratar casos de obstrução intestinal, chegando a evitar cirurgias ou outros procedimentos complexos.

Certos alimentos são de difícil digestão e, quando consumidos em excesso, podem se acumular e obstruir as passagens do estômago ou do intestino, causando dor severa e até levando a complicações sérias.

Viciado em Coca-Cola

Para avaliar a eficácia da Coca-Cola no combate a essas obstruções, pesquisadores da Universidade de Atenas (Grécia) analisaram 24 artigos sobre o tema publicados nos últimos 10 anos.

No total, foram relatados casos de 46 pacientes. Destes, apenas 4 precisaram de cirurgia, enquanto os demais foram resolvidos apenas com o refrigerante (23) ou com uma combinação da bebida e de outras técnicas (19).

“Administrar Coca-Cola é um procedimento barato, seguro e fácil de se realizar, e pode ser feito em qualquer unidade de endoscopia”, escrevem os autores da revisão.

Graças à sua composição similar à do ácido estomacal, o refrigerante ajuda a dissolver o alimento que bloqueou a passagem do intestino ou do estômago.

Viciado em Coca-Cola

Os investigadores observaram que as bolhas de gás, inclusive, ajudam a acelerar o processo, empurrando o material sólido para a saída. Mesmo a versão “diet” se mostrou eficaz.

Contudo, os próprios autores apontam como uma limitação a falta de acompanhamento dos pacientes após o procedimento.

Apenas 5 pacientes foram observados depois, sem relato de recorrência, pelo menos de 3 a 15 meses após a remoção do bloqueio.

“É necessário realizar mais estudos de prospecção para avaliar se o consumo contínuo de Coca-Cola após a dissolução do bloqueio pode ser usado como terapia preventiva para os pacientes”, ressalta a equipe.

Cheirando Coca-Cola

Com HypeScience

Deixe um comentário interessante neste artigo: