Campanha na China contra consumo de sopa de barbatanas de tubarão


Campanha de proteção aos tubarões

MATANÇA DESENFREADA DE TUBARÕES

Do blog ECOnsciência

Grupos ecológicos e de proteção aos animais fecham o cerco a práticas culinárias medievais que perduram até os dias de hoje na China, país que se pretende moderno e influente.

Depois do sucesso obtido contra o festival gastronômico em Qianxi, com carne de cachorro, uma nova campanha pretende acabar com a matança de tubarões. As barbatanas são usadas em um prato tradicional do país — a sopa de barbatana de tubarão — considerado com propriedades afrodisíacas.

Na verdade, uma crendice sem o menor fundamento científico pois a barbatana, além de não ter gosto de nada, tampouco apresenta qualquer valor nutritivo especial. Mas o seu alto custo transformou a sopa em símbolo de status na China — o prato pode custar algo equivalente a 200 reais.

Uma exposição em Pequim mostra como é feita a extração: as barbatanas são cortadas dos tubarões vivos, secadas e vendidas para restaurantes.

Os peixes são então atirados de volta ao mar e muitos na China acreditam que eles sobreviverão, pois a barbatana crescerá de volta. Mas a verdade é que o tubarão vai sangrar até a morte.

Dezenas de milhões de tubarões são mortos por ano para a produção da sopa segundo a organização internacional WildAid.

Um restaurante de Pequim resolveu não servir mais a sopa de barbatana de tubarão.

Li Mang, a gerente, conta que a maioria aprovou a medida e eles não perderam muitos clientes, o restaurante até ganhou apoio de outros clientes.

Mas, a matança do tubarão continua e, por isso, o mais famoso atleta chinês, o ex-jogador de basquete Yao Ming também participa da campanha.

A mensagem é simples: “Quando pararem de comprar, a matança pode parar também”, diz Ming na propaganda.

Fonte (clique no cartaz da SharkWater para ampliar)

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora


Deixe um comentário interessante neste artigo: