Cai o véu da hipocrisia: a intolerância não mora mais ao lado

Machismo contra Dilma

Aqui e ali começam a pulular análises sobre as reações de setores conservadores da sociedade à eleição da presidenta Dilma Roussef.

Pelo que se percebe em manifestações exacerbadas veiculadas em redes sociais e caixas de comentários de blogs, a intolerância foi o legado deixado pela campanha demotucana e midiática.

Este é um abacaxi que, infelizmente, teremos de descascar por algum tempo, sabe-se lá quanto. O que era apenas latente, parece ter vindo à tona numa súbita onda de radicalismo com o qual não estávamos ainda acostumados.

Que ninguém tenha mais ilusões, pois as coisas a partir de agora mudaram – com a queda despudorada do véu da hipocrisia -, amplificadas pela caixa de ressonância em que rapidamente se transforma a Internet aqui no Brasil.

O que mais incomoda é que, enfim, repentinamente nos descobrimos com entraves civilizatórios bastante parecidos com os de povos e culturas que pareciam tão distantes da nossa realidade.

A “idade da inocência”, para nós, acabou… agora é que a ficha caiu.


* O poster com a crítica bem-humorada acima peguei emprestado do BananaPost.

5 comentários em “Cai o véu da hipocrisia: a intolerância não mora mais ao lado

  • 3 de novembro de 2010 em 10:50
    Permalink

    A proeza do PSDB foi importar o Tea Party para os trópicos. Triste fim dos que um dia, longínquo, posaram de defensores da social-democracia….

    Resposta
  • 3 de novembro de 2010 em 10:38
    Permalink

    É verdade, Samuel, a galerinha que ponha as suas barbas de molho… Deu no Globo:

    OAB REAGE A ATAQUE AO NORDESTE NO TWITTER

    “Universitária de SP que iniciou ofensas deverá responder por crime de racismo.

    A seção Pernambuco da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) entra hoje, na Justiça de São Paulo, com representação criminal contra a onda de ataques aos nordestinos divulgada por meio do Twitter após a eleição de Dilma Rousseff.

    No domingo à noite, usuários da rede de microblogs começaram a postar mensagens ofensivas ao Nordeste, relacionando o resultado à boa votação de Dilma na região.

    A representação da OAB é contra a estudante de Direito Mayara Petruso, de São Paulo, uma das que teriam iniciado os ataques.

    Ela deverá responder por crime de racismo (pena de dois a cinco anos de prisão, mais multa) e incitação pública de prática de crime (cuja pena é detenção de três a seis meses, ou multa), no caso, homicídio.

    Entre as mensagens postadas pela universitária, há frases como: “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!”.

    Resposta
    • 3 de novembro de 2010 em 14:58
      Permalink

      Toda essa sujeira foi iniciada, pelo que se sabe até agora, por uma jovem estudante de direito paulista. E esta futura advogada muito provavelmente tentará, depois de graduada, pleitear o seu registro na OAB. Como esse “monstro” (é disso que se trata) vai defender direitos de outrem se nem ela própria os respeita? Essa é a questão, e grave.

      Resposta
  • 2 de novembro de 2010 em 23:31
    Permalink

    Fiquei preocupado mesmo é com o nível da misoginia existente na nossa população e catalizada pelo Sierra (foi assim que o Arnold “exterminador do futuro o chamou…). Será que ocorreu alguma revolução por ai que eu não estou sabendo?
    Cumprimento você pelo blog: é algo sempre bom lê-lo.

    Resposta: A “revolução das máscaras”, talvez. Obrigada, você é muito gentil.

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: