Cachaça e vinho brasileiros: da Europa para o mundo

Catedral de Colonia
A cachaça e o vinho brasileiros começam a disputar espaço com o mercado europeu e se apresentam na Feira de Alimentos de Colônia, que se realiza até o dia 14 de Outubro, na Alemanha. Os produtores brasileiros querem atrair o interesse dos consumidores que, na feira, podem provar desde o jamón serrano típico da Espanha ou os azeites italianos.

O Brasil, que hoje é o maior exportador mundial de aves, detém 25% do mercado global e também é líder na exportação de carne bovina, trouxe para a feira um portfólio diversificado de produtos. São 120 ao todo. Entre eles, a picanha. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Exportação de Carne, Roberto Gianetti da Fonseca, a picanha brasileira é comercializada em mais de 150 países.

Na lista dos dez maiores importadores do Brasil, estão a Rússia, o Japão, os Estados Unidos, a América Latina e Angola. Os produtores brasileiros que expõem na feira querem conquistar a Europa, principalmente, com o vinho e a cachaça. O Brasil produz, atualmente, mais de 1 bilhão de litros de cachaça, mas exporta menos de 1%.

Para o produtor de cachaça artesanal Evandro Weber, quando o nome da bebida for reconhecido mundialmente, “vamos superar esse número e torná-la uma das bebidas mais conhecidas no mundo.” Já o vinho brasileiro, aos poucos, também vai conquistando mercado. Nos últimos três anos, as vendas aumentaram 11%.

Fonte: Agência Brasil


Deixe um comentário simpático neste artigo: