Brinquedo de ratinhos inspira roda de exercícios humana

 
Green Wheel - Roda geradora de eletricidade

GERADOR DE ENERGIA VERDE

Do blog ECOnsciência

Caso você seja uma pessoa despojada a ponto de não se importar em dar uma de hamster em público, poderá servir de exemplo para a coletividade, gerando lucro para os cofres públicos com energia limpa e, o melhor de tudo, ainda queimar muita calorias para ficar com o físico em forma e de bem com a vida.

Pode parecer maluquice do designer Nadim Inaty, mas foi com esta intenção que ele criou o conceito da sua Green Wheel. O projeto consiste em uma roda de exercícios, semelhante a uma esteira ergométrica, que converte a energia cinética produzida pelos corredores em eletricidade.

De acordo com Inaty, que teve seu projeto selecionado para Creative Diary (concurso que oferece bolsas de estudo para o prestigiado Istituto Europeo di Design), há uma enorme falta de conhecimento na sociedade sobre a quantidade de energia que consumimos e o que é necessário para produzi-la.

“Temos uma necessidade urgente de educar o cidadão sobre as possibilidades de fontes de energia mais ecológicas”, diz.

Roda de exercícios - eletricidade

Ainda segundo o autor do projeto, o Green Wheel pode ser instalado em áreas públicas e as pessoas incentivadas a doar seu momento de exercício por uma causa nobre.

Diversas máquinas estariam conectadas a uma central de armazenamento para fornecer a energia gerada na iluminação pública e sinais (semáforos) de trânsito, por exemplo.

Cada 30 minutos de corrida na roda verde pode gerar 120 Watts de energia — o suficiente para manter uma lâmpada fluorescente acesa por cinco horas, carregar 12 vezes um celular, ligar um notebook por duas horas e um desktop por uma hora.

Mais do que apenas produzir energia, o designer conta que pretende fazer do projeto “uma campanha de conscientização permanente e uma ferramenta de marketing para uma forma de pensar verde sobre a nossa abordagem para uma cidade sustentável”.

Via Terra, com imagens legais no Yanko Design

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora


Deixe um comentário simpático neste artigo: