Brasil desmascara plano de guerra dos EUA para saquear o Irã

Charge do Bira - acordo nuclear Brasil-Irã

“A atabalhoada reação norte-americana ao acordo com o Irã, negando uma proposta que há seis meses vocalizava como imperativo da paz, demonstra que a prioridade da Casa Branca não é, nunca foi, conter a proliferação nuclear no Oriente Médio. Seu objetivo agora explícito, ao preconizar uma escalada de novas sanções, é a rendição incondicional de Teerã à hegemonia dos EUA e a de seus aliados na região. A paz é secundária nesse jogo de xadrez em que Washington só aceita o xeque-mate a seu favor.”

Trecho de editorial da Carta Maior, publicado no Óleo do Diabo.

11 comentários em “Brasil desmascara plano de guerra dos EUA para saquear o Irã

  • 26 de maio de 2010 em 16:11
    Permalink

    Impressionante. Deu no Nassif:

    Esse artigo é de GRAHAM E. FULLER, Ex-Vice Presidente do Conselho de Inteligência da CIA. Chama a atenção o seguinte trecho:

    “…Durante décadas, Washington relacionou-se com o Irã com truculência e beligerância. Isso era considerado normal – nada mais do que a única superpotência mundial exigindo dos demais países que atendam aos seus interesses estratégicos… Porém, quando Lula e Erdogan foram a Teerã, o jogo foi completamente diferente. Desta vez, Teerã não sentiu como se estivesse fazendo concessões à pressão exercida por uma superpotência, e sim aceitando um pedido razoável feito por dois Estados considerados seus pares sem nenhum histórico de imperialismo no Irã… Será que o mundo não deveria dar as boas-vindas aos gestos de dois países importantes, responsáveis, democráticos e racionais que decidiram intervir e estabelecer um contrapeso para décadas de tolice na política externa americana? “

    Aqui vai o link : http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100525/not_imp556280,0.php

    E enquanto analistas do mundo inteiro acham várias virtudes no acordo obtido por Lula, aqui a imprensa, pra variar, só sabe desdenhar…

    Resposta
  • 24 de maio de 2010 em 11:30
    Permalink

    Aqui no Brasil, O Globo e mídia subalterna continuam suas críticas caninas à orientação independente de nossa Diplomacia. Lá fora, bem, lá fora…
    No canal France 24, o ex-diretor da agência de energia da ONU, Mohamed El Baradei, saudou o “bom acordo”, que deu como “único modo de avançar”. No canal C-Span, a ex-secretária de Estado dos EUA Madeleine Albright declarou que “estamos vendo um mundo muito diferente”, em que “outros países tentam mostrar que têm um papel a interpretar. O Brasil claramente tem”. Em análise, a CNN avaliou que o país expõe “a crescente insatisfação com a ordem mundial datada e injusta”. E o canadense “Globe and Mail”, em coluna, disse que Brasil e Turquia estão “redesenhando as linhas que dividem as nações do mundo” e cobrou o Canadá por ficar para trás nesta “corrida ao centro”.
    E assim caminha a humanidade…

    Resposta
  • 21 de maio de 2010 em 18:52
    Permalink

    Bomba do dia no noticiário internacional, Nivia. Um baita “furo” de reportagem:

    15 dias antes da assinatura do acordo com o Irã, Barack Obama enviou uma carta ao Presidente Lula pedindo sua ajuda para intermediar o impasse sobre o enriquecimento do urânio basicamente nos termos em que o documento acabou sendo firmado. O presidente dos EUA disse ao colega brasileiro que o acerto de troca de combustível nuclear com os iranianos criaria “confiança” no mundo.

    Trechos desta carta foram “obtidos” (vazados, claro) pela agência Reuters.

    Carambolas, e agora como é que fica a nossa imprensa que estava toda ouriçada, babando nas gravatas com os arroubos de Mrs. Clinton?

    Completo aqui: http://www.rodrigovianna.com.br/vasto-mundo/obama-pediu-a-lula-em-carta-um-acordo-com-o-ira-e-agora-velha-imprensa-brasileira-o-que-fazer

    Resposta
  • 21 de maio de 2010 em 17:07
    Permalink

    Agora eles resolveram botar pra quebrar: em visita oficial ao Japão, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, exigiu nesta sexta-feira em Tóquio uma “forte resposta internacional” ao “ato de agressão” cometido pela Coreia do Norte, em referência ao recente afundamento de um navio sul-coreano, causando 46 mortes. A mídia tupiniquim tá toda alvoroçada aplaudindo a “macheza” da madame.

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 23:19
    Permalink

    Pela reação irada dos gringos com o acordo que o Lula arrancou e que ninguém levava fé é disso mesmo que se trata, sem meias-palavras: a preparação da futura pilhagem do Irã, na marra, como estão fazendo com o Iraque. Só que o Irã tem mais petróleo, o butim é muito maior. Concordo com tudo que foi dito aqui, sobretudo sobre a nossa mídia.

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 22:52
    Permalink

    (…) “Digam o que disserem os quislings(*) domésticos, o Brasil ganhou o respeito do mundo ao buscar a paz no Oriente Médio. Se contribuirmos para evitar o conflito, nosso será o mérito; se não houver o êxito, fica, na História, o testemunho de um esforço destemido e honrado – e não menos meritório.”

    Do sábio mestre Mauro Santayana, em DE COMO EXERCER A OUSADIA MORAL
    (http://www.jblog.com.br/politica.php?itemid=21300)

    (*) Quislings significa TRAIDORES.

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 21:01
    Permalink

    Rarrarrá! Não deu outra, Nívea!
    Saiu no LN que o ZEUA tão despachando ao Oriente Médio um novo “enviado diplomático” para pressionar o Irã, e que atende pelo nome de USS Harry S. Truman.
    Trata-se, na verdade, de um porta-aviões que vai reforçar não sei quantas unidades já em operação no Mediterrâneo e no Golfo Pérsico.
    Quando chegar, se somará a outro “coleguinha” do mesmo porte que já está no pedaço, o USS Dwight D. Eisenhower, para manter a pressão em cima de Teerã.

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 19:54
    Permalink

    Complementando o comentário preciso do Adilson (14:09 hs):

    “Hoje não tem nada mais indecente do que a nossa imprensa. É elogio dizer que a nossa imprensa é burguesa, não a qualifica precisamente. A nossa imprensa é prostituta mesmo”.

    (Pe. Júlio Lancelotti, da Pastoral do Menor e de inúmeras comissões de Direitos Humanos)

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 14:09
    Permalink

    Agora imagina só quanto a indústria bélica americana não está gastando para “molhar a mão” dos jornalistas da globo e demais colonistas do PIG para “fazer a cabeça” da ralé intelectual. Com certeza uma mixaria perto dos “bilhão de dóla” que essa cambada vai enfiar nos bolsos quando vier uma tentativa de invasão. Isto porque pouco importa o resultado, o “negócio” em si é apenas o terror e a guerra. E quem é o pobre diabo do Obama para “bater de frente” com essa máfia (vide JFK), hein, hein?

    Resposta
  • 20 de maio de 2010 em 13:15
    Permalink

    Mais do que a assinatura do acordo em si, esta foi a grande contribuição do CARA: desmascarar toda a HIPOCRISIA das potências decadentes e seus atos de PIRATARIA explícita. Agora, o rei está nu…

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: