Boneca indígena Karajá é Patrimônio Cultural Nacional

Arte indígena Ritxokó

ARTE INDÍGENA RITXOKÓ

A Cachaça da Happy Hour

Foi realizada no último final de semana, na aldeia Santa Isabel do Morro, também conhecida como Hawalò Mahãdu, em Tocantins, a cerimônia de entrega do certificado de registro como Patrimônio Cultural do Brasil da Ritxokó: Expressão artística e cosmológica do povo Karajá e dos saberes e práticas associadas ao modo de fazer bonecas Karajá.

Na ocasião, também aconteceu a I Reunião de Salvaguarda das Bonecas Karajá, com a equipe do Depto de Patrimônio Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – DPI/Iphan.

Os modos de fazer as Bonecas Karajá foram inscritos no livro das Formas de Expressão e dos Saberes, reconhecidos como Patrimônio Cultural Brasileiro em 25 de janeiro de 2012, em reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural.

De acordo com o DPI, além de ser uma importante fonte de renda, as Bonecas Karajá representam uma expressão cultural e artística que reproduz aspectos identitários de extrema importância para este grupo étnico.

São consideradas representações culturais que carregam significados sociais profundos e representam o ordenamento sociocultural e familiar dos Karajá.

Indiazinha brasileira

Devido a razões mitológicas, ritualísticas e ligadas à vida cotidiana e a fauna, as bonecas Karajá são também instrumentos de socialização das crianças que se enxergam nesses objetos e aprendem a ser Karajá.

Ao brincar com as bonecas e observarem o modo como são produzidas, as meninas recebem importantes lições e aprendem as técnicas e saberes associados à sua confecção.

As pesquisas para identificar e documentar o ofício, os modos de fazer e as formas de expressão que envolvem a produção das bonecas Karajá foram realizadas com a comunidade nas aldeias karajás Buridina Mahãdu e Bdé-Buré, em Aruanã (GO), além da já citada aldeia de Santa Isabel do Morro, ou Hawalò Mahãdu, na Ilha do Bananal (TO).

Toda essa complexidade cultural pode ser identificada nas cenas esculpidas em barro e ornadas com precisos traços em preto e vermelho das bonecas.

Atualmente, as bonecas Karajá integram o acervo de vários museus no país, são procuradas como objetos de decoração e comercializadas junto a turistas e lojas de artesanato locais, regionais e nacionais.

Com IPHAN

Deixe um comentário interessante neste artigo: