Até a imprensa estrangeira fica ‘bolada’ com ataques a Dilma

VELHA MÍDIA SÓ DEFENDE ENDINHEIRADOS

Dilma e Brasil na imprensa internacional

O Chefe de Redação

A imprensa internacional começou a reconhecer aquilo que a blogosfera progressista denuncia todos os dias: que a velha mídia brasileira só defende os interesses dos 1% mais ricos da população, contra a massa dos 99% restantes.

Embora pegando leve com os coleguinhas daqui, o jornal Los Angeles Times se mostrou espantado com os ataques sistemáticos da imprensa brasileira contra a presidenta Dilma Rousseff, mesmo contando com 78% de popularidade.

“Nenhum grande veículo a apoia, sendo que alguns jornais e revistas são particularmente duros em suas críticas”, admite o veículo norte-americano.

A matéria também faz um resgate histórico, citando que houve comemoração por parte da maioria da mídia, controlada por poucas famílias, quando o presidente João Goulart foi deposto pelo golpe de 1964.

Nos anos de ditadura que se seguiram, porém, os militares censuraram a imprensa. Agora, que o País é governado desde 2003 pelo PT, que deixou a mídia em paz, os veículos, das mesmas famílias, são críticos a ele.

“É uma situação única”, diz o LA Times, explicando que a imprensa “ainda reflete os valores da velha elite”, ao contrário de uma parcela da população, que aprendeu a conviver com os menos favorecidos, que antes eram excluídos, mas que agora ascenderam socialmente.

O texto também cita o relatório recentemente divulgado pela ONG Repórteres Sem Fronteiras criticando a concentração da mídia no Brasil e recomendando uma revisão das leis relacionadas com os meios de comunicação.

Mas ao contrário de outros lugares da América Latina, onde os governos se defendem abertamente contra a desestabilização promovida pela mídia privada, o governo brasileiro tem seguido uma “atitude relaxada” nesta grave questão.

Original completo

Deixe um comentário interessante neste artigo: