Assange livre: Justiça britânica não cedeu a pressões dos EUA


Julian Assange, do WikiLeaks - coragem é contagiosaJulian Assange sai em liberdade condicional

O Supremo Tribunal britânico rejeitou  recurso apresentado pela Suécia contra a autorização para a libertação do fundador do WikiLeaks. Julian Assange fica em liberdade condicional, depois do pagamento de fiança no valor de 235 mil euros. A audiência durou uma hora e meia.

Antes desta decisão, Mark Stephens, advogado de Assange, disse que havia arrecadado a quantia necessária para a libertação do seu cliente, acusado de cometer crimes sexuais na Suécia.

Assange se entregou à polícia do Reino Unido na semana passada e estava preso desde então, sob forte pressão política do governo estadunidense para que fosse autorizada sua extradição para a Suécia e, de lá, para os EUA.

Até 11 de Janeiro de 2011, Julian Assange ficará em Ellingham Hall, uma mansão georgiana nos arredores de Londres de propriedade de Vaughan Smith, fundador do Frontline Club, um clube inglês de jornalistas independentes.

Assange não poderá sair do perímetro da casa e terá um recolher obrigatório entre as 22:00hs e as 02:00hs. Diariamente, entre as dez da manhã e duas da tarde, terá de se apresentar à polícia.

E usará também uma pulseira eletrônica. Como é óbvio, não poderá sair do país.

Via Sábado, de Portugal

Um comentário em “Assange livre: Justiça britânica não cedeu a pressões dos EUA

  • 17 de dezembro de 2010 em 10:37
    Permalink

    Até 11 de Janeiro, muito mais segrêdos dos EUA et caterva serão revelados e algumas colunas do Império terão ruído. Como sugere uma charge do Bessinha no Conversa Afiada, vai faltar moita para os Tios Sam esconderem suas vergonhas… rsrsrs

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: