Artistas em campanha pela vida contra o novo Código Florestal


Campanha em defesa do meio ambiente

DE CARA, CORPO E ALMA

Do blog ECOnsciência

Ambientalistas lutam para emplacar mudanças que diminuam o que chamam de derrota para o meio ambiente. Para mandar um recado aos senadores, adeptos da causa verde ganharam o apoio de um grupo de artistas dispostos a doar rosto e voz a fim de meter pressão nos políticos.

O projeto de lei do novo Código Florestal que passou na Câmara dos Deputados anistia aqueles que já desmataram áreas de preservação. Se isso não bastasse, na prática ainda permite o avanço de culturas e pastagens sobre áreas, como topos de morros e entornos de rios, protegidas pelo código antigo.

A sugestão partiu do cineasta Fernando Meirelles, diretor do filme “Cidade de Deus”. Ele foi convidado para auxiliar na comunicação por um enorme grupo da sociedade civil organizada que compõe o movimento Floresta Faz a Diferença.

Artistas em campanha pelo meio ambiente

Amigo de famosos como Fernanda Torres, Rodrigo Santoro, Gisele Bündchen e Wagner Moura, Meirelles teve apenas que mandar e-mails para os colegas pedindo que enviassem recados para os senadores sobre o Código Florestal.

Como os recursos eram escassos, os próprios artistas se gravaram com câmeras improvisadas de celular ou computador.

Sem maquiagem, em suas próprias casas, as celebridades realizaram discursos espontâneos. Todos eles pedem aos senadores que o texto seja revisto. Ao todo, são 25 filmagens.

Entraram de corpo e alma na campanha Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Lenine, Paulo Tatit, Carlinhos Brow, entre muitos outros. Depois de ver o resultado com as imagens, também decidiram criar seus próprios vídeos.

O movimento #florestafazadiferença é composto por mais de cem entidades contrárias à aprovação do código como passou na Câmara. Entre elas, WWF Brasil, Greenpeace, SOS Mata Atlântica e até a CNBB — Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Completo na Carta Capital (clique nas imagens para ampliar)

* * *

Blog ECOnsciência Inovadora


Deixe um comentário simpático neste artigo: