Antonio Barreto, cantador e peregrino mundo afora



Antonio Barreto não é apenas o guerreiro que enfrenta na ponta da pena o poderoso global Pedro Bial com o seu cordel Big Brother Brasil, um programa imbecil e arranca aplausos entusiasmados no Fórum Social Mundial Temático, que se realiza em Salvador.

Nem tão só o poeta militante que desafia na arena cordelística o monstro sagrado Caetano Veloso, um sujeito alfabetizado, deselegante e preconceituoso para se transformar num fenômeno, num dos maiores sucessos recentes na troca de e-mails pela Internet.

Por trás de toda essa fortaleza, Antonio, o nosso herói – sim, por que não tê-los? – se revela também o moço sonhador, apaixonado, disponível a aventuras até onde a imaginação alcance, numa eterna busca que, felizmente para nós, nunca se esgota, sempre se renova…

A PRINCESA QUE JÁ SE PERDEU NO TEMPO

Autoria e interpretação de Antonio Barreto

No meu cavalo eu passeio mundo afora
E na viola eu vou tocando esta canção
Busco a princesa que já se perdeu no tempo
E andou dizendo que o mar virou sertão

Busco a princesa que já se perdeu no tempo
E andou dizendo que o mar virou sertão

Eu corro o trecho espantando a tristeza
Pelas ruas de Veneza, Barcelona e Sudão
Invado a lua, ponho anúncio nas estrelas
Mas sabendo que a surpresa me espera no sertão

BIS

Eu peregrino nas cidades brasileiras
Na Cordilheira dos Andes, nas lonjuras de Plutão
Invado a lua, ponho anúncio nas estrelas
Mas sabendo que a surpresa me espera no sertão

No meu cavalo eu passeio mundo afora…

3 comentários em “Antonio Barreto, cantador e peregrino mundo afora

  • 31 de janeiro de 2010 em 23:25
    Permalink

    Aaah, também gostei. Delicado, bonitinho…
    Esse genero musical é que tipo? Toada?

    Resposta: Isso mesmo.

    Resposta
  • 30 de janeiro de 2010 em 10:01
    Permalink

    [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=pJdC1sDRHAE&hl=pt_BR&fs=1&rel=0&w=320&h=240]

    A única informação que consta no iutúbi é de que se trata de uma parceria Margareth / Antonio Carlos Barreto. Linda voz, linda melodia, lindos versos.
    Muito típico…

    Resposta
  • 29 de janeiro de 2010 em 22:59
    Permalink

    Tragam meus sais… correndo!

    Que gracinha, moreno!
    Agora é que me apaixonei de vez por esse “guerreiro-menino”…
    Me leve junto com você nessa cavalgada, deixe-me conhecer também suas estrelas!
    Meu doce herói…

    Princesa Ma.Antonia

    Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: