Antigos frascos de perfume já serviram como peças de xadrez

A JOGADA DE MESTRE COM O PRÓPRIO NOME

Perfumes Mary Chess

Na primeira metade do século passado, Grace Mary Chess Robinson ficou milionária com uma linha de perfumes florais que criou para si mesma, usando ingredientes e essências naturais.

A publicidade boca-a-boca elevou a perfumista às alturas no início da década de 30, quando suas fragrâncias se tornaram sinônimo de sofisticação entre o público feminino de Nova York.

Em 1938 deu seu lance de mestre numa esperta jogada de marketing ao aproveitar o nome da marca, Mary Chess, para lançar frascos de perfume figurativos na forma das peças de xadrez.

Num chique estojo de latão com forração dourada, vinham as seis garrafas de vidro com tampas folheadas a ouro ou prata representando o Rei, a Rainha, o Bispo, o Cavalo, a Torre e o Peão.

Apesar de caros, esses conjuntos provaram ser presentes bastante populares e foram vendidos até 1960, quatro anos antes da morte da empresária. Hoje, são disputados por colecionadores.

Deixe um comentário interessante neste artigo: