Anel de 1.000 anos revela negócios entre vikings e árabes

INTERAÇÃO ENTRE POVOS DA ANTIGUIDADE

Joia antiga

Acaba de ser descoberto o principal mistério que se escondia numa antiga joia encontrada há pouco mais de um século durante as escavações de um túmulo situado na região de Birka, na Suécia.

O anel confeccionado numa liga de alta qualidade – 94,5% de prata e 5,5% de cobre – traz incrustada uma pedra de vidro em formato cabochão, com uma inscrição no topo em árabe antigo: Allah.

E qual a importância disso? Apenas comprova que no longínquo século IX da era cristã a civilização de navegantes nórdicos europeus fazia negócios com comerciantes islâmicos do Oriente Médio.

O aro interno ainda mostra sinais de que a prata foi ajuizada por um artesão, o que significa que provavelmente foi vendida antes de se tornar o tesouro mais precioso de uma mulher viking.

Desde que foi descoberto, arqueólogos imaginavam que uma ametista ornamentava o artefato. Mas exames atuais comprovam tratar-se de vidro colorido – material exótico muito apreciado na época.

Clique nos links sublinhados para saber mais.

Deixe um comentário interessante neste artigo: