A prevenção do Mal de Alzheimer com o uso das redes sociais

CRIE UM PERFIL DA SUA AVÓ NO FACEBOOK

Rede Social Idosos

Alimentação saudável acompanhada de exercícios físicos e mentais, como a jardinagem e a leitura, por exemplo, são importantes mas não suficientes para a boa saúde geral.

No atual cardápio de atividades das pessoas idosas deve ser incluída a participação de forma ativa nas redes sociais como maneira de prevenir o surgimento do Mal de Alzheimer.

Interagir no Facebook e Twitter contribui para gerar reservas cognitivas no cérebro, o que é um fator fundamental como medida protetora perante o surgimento de demências.

A opinião é do neurologista espanhol especialista em demências Jesús Cacho, o médico que chefia a Unidade de Demências do Hospital Clínico Universitário de Salamanca.

ESTÍMULOS PARA O CÉREBRO

Com estas práticas, o “cérebro das pessoas com mais idade consegue gerar estratégias de abstração e planejamento, que dependem do lóbulo frontal, tão afetado por demências”.

Ele agora trabalha em um sistema pioneiro para o tratamento e reabilitação de demências em fase inicial, baseado em softwares que começarão a ser usados em outubro na Espanha.

Trata-se de um programa criado por especialistas em informática em conjunto com neurologistas, que orienta as terapias de reabilitação baseadas nas novas tecnologias.

Jesús Cacho lembra que o Mal de Alzheimer está ligado diretamente à idade, e suas estimativas indicam que há 1% de doentes aos 60 anos e 35% aos 80 anos de idade.

Um comentário em “A prevenção do Mal de Alzheimer com o uso das redes sociais

  • 21 de julho de 2016 em 09:19
    Permalink

    Gostei muito. Uma leitura mais inteligente, seletiva e de cunho maior. Cultura é servir as pessoas evoluídas.

    Resposta

Deixe um comentário interessante neste artigo: