364 anos de prisão é a pena prevista para ex-vereador Luiz Fernando Rocha, de Petrópolis


Ex-presidente Câmara Vereadores Petrópolis

METEU A MÃO NA CUMBUCA E O PÉ NA JACA

Do blog BananaPost

Luiz Fernando Rocha nasceu e foi criado no Quarteirão das Bananeiras, no bairro Mosela. Durante a juventude, ajudado pelo físico atlético, chamava a atenção pelas defesas acrobáticas que fazia como goleiro nas peladas no campinho de terra batida, nas manhãs de domingo.

Mas isso ficou perdido no tempo. A partir dos anos 80 do século passado se transformou num frangueiro político de direita, notado tanto pela anorexia de ideias quanto pelo aumento vertiginoso do volume da silhueta — e do patrimônio –, desde que foi eleito vereador pela primeira vez em Petrópolis.

De comerciante fracassado de aviamentos e peças de malha para lojinhas da Rua Teresa até o salto para o galho providencial da Câmara Municipal de Vereadores, onde chegou a exercer a presidência, foi uma cambalhota fisiológica e tanto.

As eleições eram obtidas seguidamente com um truque de malabarismo simples, eficiente e a preço de bananas: em tempos de vacas magras era o generoso que bancava rodadas de birita aos frequentadores de botequins estrategicamente visíveis, na entrada de comunidades carentes. Em troca de votos, claro.

Funcionou até que as políticas de transferência de renda do governo Lula acabaram com esse tipo de clientelismo alcoólico de quinta categoria. Aí conheceu a primeira derrota de sua gorda carreira e passou a se virar com uma boquinha mais modesta como chefe de gabinete do atual vereador Luiz Eduardo Francisco da Silva, o Dudu.

Ex-presidente da Câmara de Vereadores de PetrópolisAgora, além da projeção nacional na mídia como corrupto, Luiz Fernando pode pegar uma pena histórica — digna de figurar no livro Guinness dos Recordes.

Ele foi denunciado pelo Ministério Público (MP) do estado pelo crime de ordenação de despesa não autorizada. De acordo com a acusação, o então vereador cometeu o mesmo crime 91 vezes.

Com isso, se condenado, pode receber a inacreditável pena de até 364 anos de prisão.

Segundo o MP, Luiz Fernando é acusado de pagar diárias, despesas com alimentação e deslocamentos para ele próprio, outros vereadores e servidores da Câmara Municipal, sem qualquer nota fiscal ou documento comprobatório e em total desacordo com a lei.

Os políticos viajaram para diversos lugares do Brasil, inclusive em períodos de recesso de suas atividades, como Natal, Ano Novo e Carnaval, com tudo pago, e os gastos não foram comprovados. O total de despesas sem comprovação com a esbórnia chega a 457 mil reais.

Como a conduta criminosa foi cometida de forma repetida — o que, pelo artigo 69 do Código Penal faz com que as penas se tornem cumulativas –, a punição, em caso de condenação, pode chegar a até 364 anos de prisão. O processo está em trâmite junto à 1ª Vara Criminal da Comarca de Petrópolis.

Só para entender, é como se um ladrão de bancos voltasse 91 vezes a uma única agência para cometer o mesmo tipo de assalto. Bastaria, neste caso, ser pego uma única vez para todo o novelo ser desenrolado.

Com todo o respeito pela inteligência do bicho, nem um orangotango pagaria um mico desses.

Com agências

* * *

Blog BananaPost - o porta-voz da macacada


5 comentários em “364 anos de prisão é a pena prevista para ex-vereador Luiz Fernando Rocha, de Petrópolis

  • 20 de agosto de 2011 em 15:32
    Permalink

    Caso típico de raquitismo mental e moral.

    Resposta
  • 17 de agosto de 2011 em 08:17
    Permalink

    É esse tipo de coisa que dá nojo na gente!

    Esse elemento ainda está andando por aí, solto? Lépido e faceiro ele não está, por causa da obe$idade mórbida.

    Fazendo as contas: para uma pessoa normal que vivesse até os 80 anos, essa pena equivaleria a 4,55 prisões perpétuas (life in prison)!!!
    No caso do “cadeirudo”, que não deve chegar aos 69 (…), por causa da gordura, isso daria 5,27 prisões perpétuas.

    ‘Disgusting’!

    Resposta
    • 19 de agosto de 2011 em 19:57
      Permalink

      Oi meu querido.
      Gostaria que vc se informa-se melhor em relação a tal acusação, simplesmente não tem nenhum processo, e muito menos na 1ª vara criminal de Petrópolis. É simples é só entrar no site http://www.tj.rj.gov.br e procurar pelo nome do mesmo e vê que realmente são calúnias. Cuidado que vc pode se dar mal, julgando as pessoas sem saber. Até porque os vereadores e servidores públicos tem esse respaldo pela legislação, e podem fazer viagens para cursos e até mesmo congressos.

      Resposta
      • 23 de agosto de 2011 em 12:59
        Permalink

        “Toda verdade passa por três estágios. No primeiro, ela é ridicularizada. No segundo, é veementemente antagonizada. Mas no terceiro estágio ela é aceita.”

        Do filósofo alemão Arthur Schopenhauer

        Resposta
    • 19 de agosto de 2011 em 23:03
      Permalink

      Faça esse tipo de comentário não, queridinha, para não pagar mico, aqui, nem ficar mal na foto, no Facebook.

      Está muito óbvio, pelo seu sobrenome, que você é parente de um entre dois dos envolvidos neste caso escabroso.

      Para piorar, fica um lance quixotesco demais empunhar a lança para enfrentar moinhos de vento, que só existem dentro de sua cabeça, diante da repercussão da denúncia do MP em mais de 150 mil links do Google, como este do Estadão:

      http://www.estadao.com.br/noticias/geral,vereador-de-petropolis-pode-pegar-364-anos-de-prisao,758791,0.htm

      Resposta

Deixe um comentário simpático neste artigo: